Gestão de restaurantes: 5 dicas para administrar com maestria

Gestão de restaurantes: 5 dicas para administrar com maestria

Um das partes mais difíceis de se ter um negócio é trabalhar a gestão da organização e isso é válido para qualquer seguimento. Quando falamos da área gastronômica, a gestão de restaurantes pode ser ainda mais complexa. Por isso, hoje vamos te dar 5 dicas para organizar a gestão do seu bar ou restaurante, deixando assim a casa mais organizada. Mas antes vamos à pergunta que a maioria dos donos de restaurante tem: se minha comida é boa e o conceito do meu restaurante também, por que eu preciso me preocupar com gestão? Gestão não é coisa de indústria? Ramos empresariais mais descolados também precisam de gestão? Pois então, SIIIIM!

Gestão de restaurantes é importante!

Trabalhar uma boa gestão de restaurantes significa melhorar a produtividade da equipe, otimizar as entregas, aumentar o lucro e diminuir problemas gerenciais. Isso tudo dentro do pacote “Gestão de restaurantes bem trabalhada”. Em tempos de crise, no qual estamos vendo estabelecimentos abrindo e fechando diariamente, manter um restaurante funcionando e lucrando não é uma tarefa fácil. A competitividade é muito alta no meio alimentício e cada vez mais as pessoas estão optando por fazerem suas refeições em casa, para não gastarem em bares e restaurantes. Por isso, é preciso parar um pouco e pensar estrategicamente em como se diferenciar da concorrência, como otimizar o processo de produção, como reduzir os custos etc. Isso tudo faz parte da gestão de restaurantes e não pode ser ignorado por quem quer fazer seu bar ou restaurante crescer, lucrar e prosperar.

Como fazer uma gestão de restaurantes com maestria

Agora que você já sabe a importância de se trabalhar a gestão de restaurantes, nós vamos te mostrar na prática como fazer isso. Preparado? Então vamos lá!
  • Faça a análise SWOT do seu restaurante

O primeiro passo para pensar estrategicamente no seu restaurante é fazer a análise SWOT dele. E antes que você diga que isso é perda de tempo, acredite, não é. A análise SWOT, também conhecida no Brasil como análise FOFA, é composta pelas palavras Strengths (Forças), Weakness (Fraquezas), Opportunities (Oportunidades) e Threats (Ameaças). Nela, você deve pensar no micro e nos fatores externo e interno que podem influenciar positivamente ou negativamente o seu negócio. Sendo assim, as forças e fraquezas enquadram-se nos fatores internos do seu restaurante, sendo o primeiro as características positivas, e o segundo seus pontos fracos. Já as oportunidades e ameaças referem-se aos fatores externos, ou seja, aqueles que o gestor não tem controle, é o caso de crises econômicas, desastres naturais, valorização do bairro etc. Fazendo a análise SWOT do seu estabelecimento, você consegue enxergar como está seu concorrente, se você tem forças o suficiente para permanecer no mercado, com quais ameaças você precisa se preocupar, entre outras coisas. Dessa forma, é possível já fazer um gerenciamento de riscos e evitar assim problemas futuros na organização do seu restaurante
  • Atente-se ao interior da organização

Depois de fazer sua análise SWOT, vire seus olhos para o interior do seu restaurante, ou seja, para a produção e atendimento aos clientes. Pense em formas de otimizar o trabalho. Há muita burocracia envolvida? Será que todos os passos são mesmo necessários? É possível reduzir custos? Como aproveitar melhor os alimentos? Todas essas perguntas devem ser respondidas para melhorar a gestão do seu restaurante. Vale lembrar que não deve ser feito nada que possa prejudicar a qualidade do alimento oferecido. Outro ponto importante é a satisfação dos funcionários. Um funcionário motivado trabalha com muito mais bom humor e a comida sai muito mais gostosa. Trabalhar com colaboradores desanimados principalmente no ramo de restaurantes pode ser um tiro no pé. Por isso, pense também em políticas de incentivo e campanhas motivacionais.
  • Segurança do trabalho também é válido para restaurantes

Quando pensamos em segurança do trabalho, nossa cabeça vai imediatamente às fábricas e grandes indústrias, mas a segurança do trabalho está presente em praticamente todos os negócios. Com o ramo alimentício não é diferente. Uma pessoa que trabalha 8h por dia em uma pia muita baixa, pode desenvolver um sério problema de coluna. Da mesma forma, um funcionário que tem a função de picar cebola e que pica cebola por várias horas todos os dias pode desenvolver lesão por esforço repetitivo (LER). Por isso, na hora de montar seu restaurante ou bar, faça um mapa de risco, identificando onde podem acontecer acidentes. Acidentes com óleo fervendo são muito graves e podem causar danos irreparáveis. Equipamentos de proteção individual (EPIs) se tornam indispensáveis.
  • Ofereça treinamentos

Ter uma equipe bem treinada – tanto na cozinha, quanto no atendimento ao cliente – é indispensável para que seja possível manter um padrão de qualidade do alimento e do serviço. Por isso, de tempos em tempos (ou sempre que entrarem novos funcionários) ofereça treinamentos, para lapidar ainda mais sua equipe. Aqui vale lembrar que ser exemplo é a melhor técnica. Se o dono do restaurante for desleixado, certamente seus funcionários também serão. É importante que todos mantenham-se asseados, limpando frequentemente a cozinha, lavando bem as mãos e com um sorriso no rosto. A equipe responsável pelo atendimento deve manter uma boa postura, atender com simpatia os clientes, não diferenciá-los pelo tipo de roupa etc. Todos esses detalhes fazem parte da gestão de restaurantes e deve ser passada através de bons treinamentos e boa liderança.
  • Faça parcerias

Se seu restaurante está próximo de um cinema, teatro, casa noturna ou até uma grande empresa vale a pena tentar parcerias com esses lugares. No caso de um cinema, por exemplo, você pode oferecer descontos a quem tiver o ingresso de um determinado filme, estreia ou dia da semana específico. É muito provável que o público desses lugares passe a frequentar seu estabelecimento. No caso de uma grande empresa, em que os funcionários ganhem vale alimentação, você pode oferecer descontos no almoço, o que certamente trará vários trabalhadores para o seu restaurante. Ou então você pode deixar um flyer nos estabelecimentos parceiros oferecendo uma bebida de cortesia para quem entregar o flyer no restaurante. Outra boa ideia é fazer parcerias com aplicativos que divulguem e indiquem seu restaurante. O reservatio, por exemplo, é um aplicativo que facilita a vida do usuário pois faz a reserva de mesa nos restaurantes parceiros. Ele pode se enquadrar na gestão de restaurantes como estratégia de adquirir novos clientes e divulgar sua marca. Conheça em http://reservatio.com.br/.